sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Você sabe o que é ter um amor, meu senhor?
Ter loucura por uma mulher
E depois encontrar esse amor, meu senhor,
Ao lado de um tipo qualquer?
Você sabe o que é ter um amor, meu senhor
E por ele quase morrer
E depois encontrá-lo em um braço,
Que nem um pedaço do seu pode ser?

Lupicínio Rodrigues

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Quando você chega à emergência de um hospital, uma das primeiras coisas que eles pedem é que você dê uma nota para a sua dor numa escala de um a dez. Me lembro de uma vez, logo no início, em que eu não estava conseguindo respirar e parecia que meu peito estava pegando fogo, as chamas lambendo meu tórax por dentro, tentando encontrar um jeito de sair e queimar o lado de fora, e meus pais me levaram para a emergência. Uma enfermeira perguntou sobre a dor e eu não conseguia nem falar, então mostrei nove dedos. Depois, quando já tinham me dado alguma coisa, a enfermeira voltou e ficou meio que acariciando minha mão enquanto media minha pressão arterial, então disse: Sabe como sei que você é guerreira? Você chamou um dez de nove.
— A culpa é das estrelas. 

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Dizem que para esquecer alguém que você goste muito, você precisa transformá-lo em literatura. Sendo assim, escreverei livros a minha vida toda e mesmo assim não conseguirei me livrar de você.
— 500 days of summer. 

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

A gente reclama muito da dependência, mas como é maravilhosa a dependência, confiar no outro, confiar no outro a ponto de não somente repartir a memória, mas repartir as fantasias. Confiar no outro a ponto de esquecer quem se foi assim que o outro esteja junto, é talvez chegar em casa e contar seu dia e só sentir que teve um dia quando a gente conta como foi. É como se o ouvido da outra pessoa fosse nossos olhos. Amar é uma confissão. Amar é justamente quando um sussurro funciona melhor que um grito. Amar é não ter vergonha de nossas dúvidas, é falar uma bobagem e ainda se sentir importante. É lavar louça e nunca estar sozinho. É arrumar a cama e nunca estar sozinho. É aquela vontade danada de andar de mãos dadas durante o dia e de pés dados durante a noite.
— Fabrício Carpinejar. 

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014


“Eu estaria mentindo se falasse que seu sorriso não mexe comigo.”

— Cidades de papel.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

A Alice que existe dentro de você

A gente vai sempre dormir com aquela vontade de fazer diferente do outro dia, de arriscar sair da rotina. Planos, desejos e sonhos adormecem junto com o nosso sono. Então, no outro dia, com a rotina e tantos problemas, esquecemos de tudo aquilo que prometemos para nós mesmo antes de dormir.
Arriscar não é uma tarefa fácil, requer coragem e confiança. Quer uma dica? As pequenas mudanças atraem as grandes. Pequenas atitudes, como um simples sorriso, podem mudar toda a sua vida.
Não deixe que o que acontece aqui fora estrague o que reluz aí dentro. As pessoas não precisam te entender. Você precisa.
Nós nunca descobriremos o que vem depois da escolha se não tomarmos uma decisão. Por isso, entenda os seus medos, mas jamais deixe que eles sufoquem seus sonhos. Siga o coelho. Não tenha medo de entrar em lugares onde você acha que não cabe. O mundo mágico da felicidade e do amor só existirá se você acreditar nele.
Escute sempre a Alice que existe dentro de você.


- Bruna Vieira, "Depois dos Quinze", página 108.